Minha terra, meu Museu Museu Municipal de Vale de Cambra
quinta, 07 junho 2018 08:08

Minha terra, meu Museu Destaque

Classifique este item
(2 votos)

Após visita ao Vale Mágico em busca da arte expressa nas ruas através do seu ‘Walking Tour de Arte Contemporânea’ voltamos ao ambiente  “… cercado de montanhas de formas extravagantes...” de Ferreira de Castro para saber mais da sua história, pois assim o teria de ser... e fomos ao museu.

O Museu Municipal de Vale de Cambra situa-se na freguesia de Macieira de Cambra nos antigos Paços do Município, que foi a sede do concelho até 1926. Dista 3Km do centro de Vale de Cambra e é o primeiro andar de um edifíco do séc. XIX onde funciona no rés-do-chão a Junta de Freguesia.

Museu Municipal de Vale de Cambra

 

Entramos - à direita o brasão de freguesia, à esquerda ‘Caaymbra’ e ao centro a escadaria.

Na génese da missão do museu e pelo ”permitir a fruição do vasto património concelhio...” (vide Museu Municipal) é gratificante estar perante um espaço reduzido que desafia a imensidão destes vales e onde através de recantos e objetos com história seguimos um pequeno e sinuoso trajeto que nos cativa pelo vislumbre dos saberes por ali expostos. Essa identidade histórica aliada à sua natural ‘geografia turística’ faz de Vale de Cambra parte integrante das Montanhas Mágicas.

 

Museu Municipal de Vale de Cambra

 

As exposições de Louça Preta, de Fainça Nalda, de Pesos e Medidas, do Ciclo do Vinho, do Mel e do Ciclo do Linho, perfilam no seu conjunto o museu para a sua função histórica e cultural.

A Câmara Municipal de Vale de Cambra tem agendada uma nova exposição entre 2 de Junho e 11 de Agosto de 2018, cujo tema ‘Saberes do Vale’ vem comprovar uma vez mais a aposta na “Valorização do Território, suas gentes e Tradições.”

Ao Ondas da Serra fica o ‘bichinho’ de lá voltar e registar esta exposição e que será mais tarde aqui agregada.

Bons passeios!!

Museu Municipal de Aveiro

 

 

Lida 383 vezes

Autor

Rui Sousa

A Natureza inspira-o. Som, imagem, aroma e sensações ‘... aquela parte do mundo onde naturalmente podemos simplesmente ser.’ Quer estar onde a vida e cultura de um povo faz parte do que a rodeia, onde vivenciar essa realidade faz sentir a saudade dessas memórias onde vive a história... onde podemos estar.

Itens relacionados

Igreja Paroquial de São Mamede de Guisande

Nas nossas voltas pelo distrito de Aveiro, fomos até Guisande em Santa Maria da Feira, onde descobrimos a sua bonita Igreja Paroquial em honra de São Mamede e Capela de Nossa Senhora da Boa Fortuna.

Terras de Paço de Mato, Viadal, Vilar e Gatão

O Ondas voltou à Vale de Cambra para continuar a descobrir as suas bonitas aldeias ou reencontrar alguns amigos e começar o percurso onde antes tínhamos terminado, Paço de Mato.

O CENÁRIO da Ria de Ovar, por Hélder Ventura

O Ondas da Serra visitou o Cais do Puxadouro, na Ria de Aveiro, em Válega. Durante séculos, este foi o local de onde partiram produtos agrícolas, de pecuária, telha e caulino. O porto, com as embarcações de madeira que os transportavam, foi perdendo as suas funções originais e o local transformou-se em CENÁRIO. O Centro Náutico da Ria de Ovar surge com a missão de preservar a memória do Cais e de recuperar histórias que, de outra forma se perderiam.

Faça Login para postar comentários