Noitada de Desafio e Desgarradas no sábado, dia 3, em Avanca FESTCORDEL - Festival Internacional do Verso Popular, Descante, Desgarrada

Noitada de Desafio e Desgarradas no sábado, dia 3, em Avanca

Classifique este item
(0 votos)

FESTCORDEL - Festival Internacional do Verso Popular | Noitada de Desafio e Desgarradas no sábado, dia 3, em Avanca

O Município de Estarreja associa-se ao FESTCORDEL - Festival Internacional do Verso Popular, Descante, Desgarrada, Desafio, que decorre em Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha. O evento passará esta semana por Estarreja nos dias 2 e 3 de março. Na sexta, dia 2, realizam-se sessões com poetas repentistas (desafios e desgarradas) dirigidas para IPSS e Escolas. No sábado, dia 3, o Auditório do Centro Paroquial de Avanca recebe uma Noitada de Desafio e Desgarradas, aberta a toda a população.

Trata-se de um evento intermunicipal de forte impacto e de interesse cultural para o Município de Estarreja, uma vez que um dos últimos grandes cantadores populares de Portugal foi Marques Sardinha, de Avanca, retratado num painel de azulejos na estação ferroviária de Avanca desde 1929.

O FESTCORDEL pretende restaurar uma das tradições mais genuínas e mais antigas do povo português, anterior à própria formação do país, já que remonta ao tempo da presença muçulmana na península Ibérica e desde então se mantém.

Foi até meados do século passado o maior espetáculo popular nas romarias e festas tanto religiosas como profanas, sendo substituído por outras sonoridades. Mas prevaleceu e cresceu no Brasil, onde representa uma das mais pujantes manifestações da cultura popular.

É tempo de recuperarmos esta tradição, evocando as origens do verso popular e o grande impacto que teve no passado junto das nossas gentes, servindo-nos da ajuda daqueles que souberam preservá-la e engrandecê-la ao longo dos anos. Hoje, o Verso Popular de Língua Portuguesa está em processo de ser reconhecido como património imaterial da humanidade.

No ano em que se comemora o Ano Europeu do Património Cultural, damos o primeiro passo para a preservação desta tradição popular, sensibilizando a comunidade para a sua importância, juntando, numa exibição da arte da palavra, alguns dos maiores poetas e repentistas populares da atualidade, nomeadamente de Portugal, Espanha e Brasil.

 

Programa Estarreja - 2 e 3 de março

Dia 2 de março, sexta-feira | Auditório do Centro Paroquial de Avanca
10h00 Sessão com poetas repentistas (Desafio e desgarradas) para IPSS/ População Sénior
14h30 Sessão com poetas repentistas (Desafio e desgarradas) para Escolas/ Público Escolar

Dia 3 de março, sábado | Auditório do Centro Paroquial de Avanca
21h00 - Noitada de Desafio e Desgarradas

Lida 414 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Os Amigos da Tasca Centenária e da música popular Portuguesa

Em Cabomonte – São Miguel de Souto, na Tasca Centenária da Marçalina, um grupo de amigos reuniam-se em convívio à volta das cartas, dos petiscos e das brincadeiras. Com o tempo trouxeram instrumentos, os cantares ao desafio e a vontade de formarem um grupo musical. Desta forma simples nasceu o conjunto “Os Amigos da Tasca Centenária”, composto por seis músicos e uma cantadeira que perpetuam a nossa memoria coletiva com as suas vozes e melodias tradicionais.

Caldas de São Jorge | Terra de mártir, poesia, rio e águas termais

Caldas de São Jorge é uma freguesia de Santa Maria da Feira, bastante conhecida pelas suas águas termais, mas que tem outras riquezas à espera de serem descobertas.

Intermarché de Ovar conta a história da cidade em azulejo português

Um supermercado já não é apenas um espaço comercial que vende produtos de consumo corrente. Oferecer cultura local em azulejaria portuguesa enquanto vai às compras é reconhecer que a experiência de cliente do século XXI não termina nas caixas registadoras. Por isso é que o Intermarché de Ovar lhe conta a história da cidade num projeto assinado por Marcos Muge.

Pub