Casa Alentejana | Aroma e Sabor a Tradição Casa Alentejana - Ovar
segunda, 05 novembro 2018 00:53

Casa Alentejana | Aroma e Sabor a Tradição Destaque

Classifique este item
(4 votos)

Por esta vez o ‘Ondas’ deixou a serra e foi ao Litoral. Estivemos em Ovar para conhecermos um local muito particular.

No centro da cidade de Ovar, na praça Largo Família Soares Pinto onde também 'mora' o icónico chafariz Neptuno datado de 1877 é onde se encontra a Casa Alentejana, um estabelecimento onde podemos comprovar a cultura gastronómica da região Alentejana em plena terra de 'Vareiros'!

Casa Alentejana - OvarSim, leram bem! Esta combinação improvável tem-se revelado de pleno sucesso a constatar pela adesão quer da população local bem como pelo número cada vez maior de visitantes. Vamos descobrir como é!

Quem é a 'cara' da Casa Alentejana: José e Daniel, dois amigos que há cerca de dez anos a imaginaram e, a criaram.

Estivemos à fala com o José enquanto esperavamos pelo Daniel que estava nos serviços da distribuição e que é, igualmente, uma aposta de negócio – 'Temos variadíssimos pedidos quer de clientes comerciais, restaurantes e/ou particulares para todos os nossos artigos...' – como nos refere José – '... o que tem sido excelente'.

Ao entrarmos somos de imediato levados para uma experiência sensorial intensa, além de visualmente ser um regalo para os olhos devido à enorme variedade de artigos expostos, ricos em cores e fomatos distintos entre si. É, contudo, o aroma que mais acentua essa mesma experiência - não há ninguém que fique indiferente ao ar que ali se respira, pois de imediato ficamos com imensa vontade de experimentar e saborear todos os produtos que o nosso olfacto vai conseguindo descortinar – e que bom aroma é!

E o que dizer sobre a oferta de vinhos?! Vê-se, é bem constituída e, oferece potencialidades na diversidade e na escolha. Por ali encontramos quer colecções privadas e outras bem exclusivas, assim como as referências de grande nome da vinha do Alentejo – um regalo!

Esta tem sido uma das premissas basilares da casa “Ter uma garrafeira bem preenchida pois a qualidade já lá está.” – assim nos refere José.

Da região Alentejana sobressaem, ainda, pelas suas caraterísticas os enchidos, a azeitona, as tostas, a compota, o azeite, o vinho e o queijo. É possível, também, encontrar um ou outro género de queijaria de outra região.

Como referência à atividade da casa Alentejana e da sua estratégia comercial enaltecemos a sua forma de agir e de pensar quer pelo sistema de entregas ao domicílio bem como pela atitude comercial onde se procura a satisfação plena do cliente alicerçada pelos 'dizeres' da casa “Se não gostar, devolvemos o dinheiro!”. Foram assim introduzindo e lançando produtos específicos e distintos no mercado como o queijo fresco, o requeijão, o pão, o molho de orégãos e a carne de porco preto denominada de ‘Lagarto’, onde esta última é “...pela sua qualidade” a favorita dos clientes.

Esta forma de estar perante o mercado funciona e cumpre a simples lei económica – a lei da \oferta e da procura\ - onde ao suprir as necessidades do cliente, com serviços específicos e com o selo de excelência faz referência do Norte do país. Transmitem-se desta forma os sabores culturais gastronómicos de uma região portuguesa - os nossos parabéns!

Um dos clientes habituais surgiu-nos na sua visita à Casa Alenteja e conversa puxa conversa, ficamos a saber um pouco mais da sua história de vida. Ainda nos presenteou com a sua análise ao estabelecimento e respondeu ao porquê do sucesso da Casa Alentejana na forma mais pura e singular de alguém que sabe do que fala, comprovadamente – “O artigo é bom!” – pela voz de Joaquim.

Existem algumas expressões que marcam e o José refere o que assiste entre os seus clientes –“Traz aí um copo e anda beber connosco!”, sendo esta a máxima de um local onde se pode estar à conversa com amigos ou desconhecidos e sentir de bem perto as pessoas, “quase como uma família.” Aqui se partilham histórias, ideias, opiniões e onde há sempre alguém com quem descobrir e mais ainda para saborear, tudo sem stress!... como por lá diz o povo Alentejano “Ó amigo, se está com pressa, passe por cá outro dia!”

Entretanto, a conversa foi avançando e não chegamos a conhecer o Daniel. O serviço foi crescendo no decorrer da tarde e como pela regra da casa em primeiro lugar vem o cliente, obtivemos uma mensagem via telefónica onde ele nos agradece a visita e refere para estarmos à vontade – “façam como se estivessem em casa... mas no final que não se esqueça de pagar!” – referiu o Daniel muito divertidamente.

Obrigado Daniel, obrigado José – ficamos clientes - Casa Alentejana, estou lá!

Uma nota sobre o espaço físico em si, pois apresenta uma peculiaridade bem interessante: duas mesas altas e redondas ao centro, sem cadeiras e que permite a fluidez de circulação e movimentos tal como é apanágio de um casuístico convívio e quem sabe algo mais! Existem ainda dois balcões que mais servem para amostras de produtos do que para o atendimento dito convencional, com a vantagem de se poder circular em todo o seu redor, ou seja, ‘naturalmente’ podemos estar ao lado do patrão enquanto este avia o freguês. Aconselhamos vivamente a experimentar.

Facebook | Telefone: 256 108 316 | Morada: Largo Família Soares Pinto, 3880-128 Ovar

 

 

 

Lida 958 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

A Loja Centenária da Marçalina

Ondas da Serra viajou até Cabomonte – São Miguel de Souto, onde subsiste há mais de um século uma antiga taberna, mercearia ou como o povo gosta de chamar “Loja de comes e bebes”, mais conhecida por “Loja da Marçalina”, uma das mais velhas das terras de Santa Maria e onde ainda se podem sentir os refinados odores dos petiscos dos nossos avós.

A Quinta do Pinho

‘E onde estamos nós?’

Pois bem, voltamos ao Vale Mágico (Paraduça e suas gentes) e… saindo do vale rumamos à montanha. Sempre rodeados de um verde arrebatador fomos até à fronteira com Arouca e encontramos o que a vista não alcança para entrar pela Quinta do Pinho adentro.

Intermarché de Ovar conta a história da cidade em azulejo português

Um supermercado já não é apenas um espaço comercial que vende produtos de consumo corrente. Oferecer cultura local em azulejaria portuguesa enquanto vai às compras é reconhecer que a experiência de cliente do século XXI não termina nas caixas registadoras. Por isso é que o Intermarché de Ovar lhe conta a história da cidade num projeto assinado por Marcos Muge.

Faça Login para postar comentários